25 anos a fotografar- Parte II

Nestes 25 anos a minha vida deu umas quantas voltas. Com as voltas e revoltas aprendi a ter mais humildade e a saber agradecer a quem comigo trabalhou, a quem me ajudou a melhorar e a quem confiou em mim e no meu trabalho. Vivo em Viseu, fará seis anos este ano.

Tenho que agradecer aos viseenses e à cidade pela forma como me receberam e, sobretudo, pelo contínuo carinho com que apreciaram o meu trabalho, exposição após exposição, filme após filme.Amigos, muitos, demais para mencionar! Obrigado a todos.

Alguns dos meus mais importantes e bem conseguidos ensaios e filmes-documentário só foram possíveis graças ao Município de Viseu, a quem agradeço na pessoa do seu Presidente, António Almeida Henriques. Agradeço também à antiga vereadora da cultura, Odete Paiva e ao programa Viseu Cultura. Para todos aqueles e aquelas que na Viseu Marca me convidaram/aceitaram desafios para trabalhar e me encorajaram a produzir ensaios e um filme premiado, muito obrigado. Obrigado Bárbara Sobrado.

Uma palavra final para Jorge Sobrado: muito obrigado por tudo. Obrigado por teres tido a atitude que te caracteriza de forte envolvimento, de sábio, alicerce de muita coisa boa que esta cidade descobriu contigo e pela tua mão. Obrigado por te teres esfalfado a trabalhar deixando imensas vezes para trás os teus. Fizeste da Feira de São Mateus aquilo que ela é hoje, motivo de enorme orgulho para todos os viseenses e para Portugal. Colocaste Viseu firmemente no mapa do ponto de vista cultural. Obrigado. Irá sempre haver Viseu antes, e Viseu depois de ti. Deixas-nos um enorme desafio. Honrar o teu legado. Tenho a certeza que não conseguiria ter feito o que fiz por estas bandas sem a tua visão. Boa sorte amigo! Que a vida te sorria, sempre.

Ficam aqui algumas fotografias de um ensaio produzido durante o ART & TUR – International Tourism Film Festival, para o Município de Viseu, o último ensaio fotográfico que publiquei.Neste texto ainda não menciono tantos outros municípios que me deram a oportunidade de com eles criar obra. Lá chegarei.E faltam os meus, não os poderei esquecer.

25 anos a fotografar – Parte I

Completo este ano 25 anos dedicados à fotografia. Não querendo ser juiz em causa própria, espero que o meu trabalho tenha contribuído para dignificar esta forma de expressão artística.

Comecei em 1996 a fotografar as ruas do Porto; anos mais tarde iniciei uma carreira na fotografia de moda, de produto e de publicidade e, já no Reino Unido, dediquei-me à fotografia sócio-documental.

Está previsto o lançamento de um livro financiado através de uma plataforma de crowdfunding alusivo a estes 25 anos (novidades entretanto).

Publico o mais curto ensaio que produzi, apenas 17 fotografias de capas de jornais, entre o dia 1 e 17 de Janeiro de 2015, no Reino Unido. Ninguém antecipava que seria o ano do atentado ao Charlie Hebdo, ocorrido a 7 de Janeiro.