Rui Massena, ao vivo

Rui Massena, ao vivo – Dias do Património a Norte, Igreja Matriz de Sambade. A genialidade de Rui Massena, num concerto memorável no encerramento dos Dias do Património a Norte. Todas as fotografias Olympus OM-D E-M1 Mark II, Olympus M.Zuiko PRO 40-150mm f2.8. ISO entre 5000 e 16000. ACR/Adobe Photoshop to taste. (Norte2020, Portugal2020, UE,Continue a ler “Rui Massena, ao vivo”

Carminho

Concerto ao vivo – memorável. Ficam algumas fotografias de canções sentidas, cantadas com a alma que o fado – ainda que novo – exige. Carminho encantou uma multidão enorme que, apesar da chuva e do frio, não arredou pé. Todas as fotografias com Olympus E-M1 Mark II, Olympus M.Zuiko Digital 40-150mm f2.8 PRO. ISO 1250Continue a ler “Carminho”

16000 ISO e 1/60s a 300mm: E-M1 Mark II. Ruído?

Insisto, insisto, insisto: a performance da E-M1 Mark II a ISO elevado é extraordinária. Esta fotografia, de um dos elementos da Crew da Carminho, é bem prova daquilo que tenho vindo a afirmar. Não só evidencia a performance e ausência de ruído da Olympus, bem como demonstra a eficiência do estabilizador da câmara: 300mm aContinue a ler “16000 ISO e 1/60s a 300mm: E-M1 Mark II. Ruído?”

Será que o Verão vai chegar?

No campo tosquiam-se as ovelhas, preparam-se os animais para o calor que se adivinha. Está frouxa esta Primavera, tímida, com altos e baixos, cheia de pólens que nos enchem de rinites, “coceira” que não nos dá descanso. Neste país encantado há recantos em que o tempo parece ter parado – pastores tosquiando ovelhas, algumas negras,Continue a ler “Será que o Verão vai chegar?”

Olympus OM-D E-M1 Mark II – Performance excepcional a ISO elevado

Um dos mitos mais frequentes com que me tenho deparado desde que me tornei utilizador Olympus é a alegada performance da OM-D E-M1 Mark II em ISO elevado. Diz-se, lê-se, que este é o Calcanhar de Aquiles do sistema. Nada como testar, em situações reais de trabalho, quais os resultados que o sistema produz quandoContinue a ler “Olympus OM-D E-M1 Mark II – Performance excepcional a ISO elevado”

O Último Dia de um Condenado à Morte

Estreou a 7 de Dezembro no Teatro Armando Cortez, em Lisboa. Paulo Sousa Costa é o encenador de um monólogo de Victor Hugo escrito em 1829, O Último Dia de um Condenado à Morte, obra à época criticada por ser deprimente e na qual o autor elogiou Portugal por ter sido o primeiro país aContinue a ler “O Último Dia de um Condenado à Morte”

Flamenco

Tem tanto de energia pura como de alma – o flamenco traduz a essência do povo espanhol tão bem como o fado traduz a nossa. Estes momentos, captados num espectáculo memorável em Alfândega da Fé, testemunham isso mesmo. Palavras para quê?   Todas as fotografias ©Município de Alfândega da Fé

L’Avalot – Teatro de Rua – AF, gama dinâmica e baixo ruído a ISO elevado.

Há circunstâncias extraordinariamente difíceis para equipamento e fotógrafo. Quando se é amador (perdoem-me o abuso, nada tem que ver com o mérito de cada um) e “corre mal”, perdem-se imagens que tanto gostaríamos de ter registado com sucesso. Quem da fotografia faz profissão não pode falhar – o trabalho tem que ser entregue, com todaContinue a ler “L’Avalot – Teatro de Rua – AF, gama dinâmica e baixo ruído a ISO elevado.”