O Presidente da República escreve-nos, pela segunda vez

IMG_0336

Na sequência da publicação do segundo volume de Floresta Negra, com o subtítulo “Inferno”, o Presidente da República voltou a endereçar-nos uma pequena missiva. “Inferno” foi integralmente produzido na zona de Pedrogão Grande, depois do grande incêndio que transformou indelevelmente toda a zona centro do pais e que causou mais de 60 vítimas mortais.

Senhor Presidente, bem-haja! Muito obrigado!

They tried to bury us, but forgot we are seeds

_3240007-copiarInaugurou a 24 de Março – They tried to bury us, but forgot we are seeds – colectiva na Quinta da Cruz, com obras de Vanessa Chrystie, John Gallo, Carlos No, Maia Horta, Paulo Neves e Joanne Grüne-Yanoff.

_3240034-copiar.jpg

Uma verdadeira enchente para contemplar a colectiva e a individual de Fátima Teles, Construction Line.

Ficam alguns momentos da inauguração e da montagem, na véspera e ante véspera.

 

Exposição colectiva Quinta da Cruz

Inferno_17

Inaugura dia 24 de Março uma colectiva imperdível na Quinta da Cruz em Viseu. Intitulada “They tried to bury us, but forgot we are seeds”, é uma colectiva de seis artistas. Pintura, escultura, desenho, ilustração e fotografia (com imagens de Inferno, Floresta Negra), serão as artes presentes.

Inferno_21

Eu irei expor oito fotografias do ensaio Inferno, produzido em Agosto de 2017 e integralmente rodado na zona afectada pelo grande incêndio de Pedrogão., todas com 110x150cms. Eu, a Vanessa Chrystie, a Maia Horta, a Johanne Grune-Yanoff, o Carlos No e o Paulo Neves esperamos por vós no dia 24.

Floresta Negra reconhecido por Marcelo Rebelo de Sousa

Missiva-Sr.Presidente

Estes têm sido tempos fantásticos na Chappa. Para além de todo o reconhecimento do trabalho desenvolvido para os nossos clientes (por estes e pelo público em geral), desde 2017 que o Presidente da República reconhece o nosso trabalho no Movimento Floresta Negra.

Prometemos continuar a sensibilizar os mais jovens para a importância da floresta, para a necessária boa gestão da mesma, no sentido de garantir a sustentabilidade deste nobre recurso.

Obrigado Sr. Presidente – o orgulho que sentimos perpetua-se no nosso trabalho no Movimento Floresta Negra, em todos os momentos.

Floresta Negra – Workshops de sensibilização

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Temos realizado dezenas de workshops de sensibilização, por todo o país, desde que há ano e meio fundámos o Movimento Floresta Negra. Temos levado aos portugueses mais jovens a floresta. A nossa floresta. Acções de sensibilização que visam os mais pequenos, a sua relação com a floresta, a importância extrema de conservação deste recurso, as vantagens para o meio-ambiente e para todos nós quando assumidamente nos orientamos para a conservação da natureza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Atitudes preventivas na relação com a floresta são igualmente abordadas – muitos “recados” para levar para casa, especialmente em zonas de incidência rural.

Já chegámos a centenas de crianças e jovens, sempre fora da época dos incêndios – para nós, é no Inverno que se apagam os incêndios e os mais novos parecem concordar.

_DSF0453-2

O Movimento Floresta Negra tem o patrocínio da McDonalds, o apoio da ANPC e da Liga de Bombeiros Portugueses e o Jornal Público como media partner.

Inferno

Depois da tragédia de Pedrogão, depois da tragédia que assolou os distritos de Viseu, Coimbra e Leiria, em que mais de cem pessoas perderam a vida chegou, sem dúvida alguma, o momento de olhar para a floresta em Portugal com olhos de ver.

Inferno estreia em Novembro, produzido pela Chappa.

Uma imagem solidária

Inferno_42

Esta foi a fotografia que doei para a iniciativa Uma imagem Solidária. Nos dias 14 e 15 de Setembro no Mira Forum no Porto mais uma iniciativa de louvar a que aderiram mais de 200 fotógrafos.

Nestas ocasiões sinto-me orgulhoso da profissão que escolhi.

A fotografia faz parte do ensaio Inferno, sobre a tragédia de Pedrogão Grande. Tem, por isso, um significado muito especial neste contexto de ajuda aos bombeiros de Castanheira de Pêra.

Manhã cedo, 16 Agosto de 2017 em Foz do Alge – fumo de incêndios próximos pintava o céu matinal sobre os montes já ardidos.

Olympus OM-D E-M1 Mark II, Olympus M Zuiko Digital 40-150 f2.8 Pro

1/640 s @ f5,6, 40mm (80mm equiv) ISO200