Feliz 2018

PFD5109

Escolhi esta fotografia de um peregrino, exausto depois de cumprir a sua promessa, junto à Capela das Aparições em Fátima em pleno 13 de Maio, para ilustrar sacrifício, dedicação e fé. Não necessariamente num credo em particular, em nenhum em especial. A Humanidade precisa, desesperadamente, de uma inversão de valores. Temos que deixar de endeusar os bens materiais, de ligar sucesso a dinheiro, a riqueza material. É crítico que a acumulação absurda de riqueza em meia dúzia de mãos termine e que haja mais justiça social, menos desigualdade, maior equilíbrio, através do trabalho e da responsabilização colectiva, valorizando atitudes proactivas, fazendo pleno uso da democracia. Fé, fé na humanidade, acreditar que somos capazes de travar esta espiral de ganância que coloca em perigo a sustentabilidade do planeta. Dedicação a causas comuns, espírito de corpo.

Feliz 2018!

Anúncios

What’s in a photo?

Terror

Terror é algo a que nos habituámos nos últimos anos. Sabemos que nenhum lugar é seguro, nenhuma cidade está a salvo. Esta fotografia retrata, de forma teatral, a potencial ameaça que todos enfrentamos nas nossas ruas, aeroportos, teatros, ciclovias. A postura do esqueleto, misto de admiração e terror, parece contrastar com a calma impassível dos muçulmanos que assistem aos movimentos da marioneta com crítica atenção. Os muçulmanos não são todos terroristas, longe disso – sabemos que a maioria do povo muçulmano não subscreve o terrorismo – mas a associação dos elementos nesta imagem parece querer levar-nos a tirar conclusões simplistas, imediatas.

WLT038

No mesmo cenário, momentos antes: uma criança crescida demais aninha-se como pode num carrinho de bebé, escondendo-se atrás de um saco gigante de M&M’s, olhando de forma medrosa, desconfiada até, para o esqueleto. Será este um sinal dos tempos? Assimetrias galopantes entre cidadãos do mesmo país, miséria, quase fome e excessos convivendo lado a lado?

Canon EOS 5D Mark II, Canon EF 70-200 F4 L USM. Leicester Square, London.

 

Fisheye frenzy!

_DSC1857-copiar

Voltaram a estar na moda, as velhinhas fisheye. Vulgarizadas nos anos sessenta, quem não se lembra da mais famosa de todas, a Nikon 6mm f2.8 Fisheye, a última das quais vendida por €150000,00 (não, não é erro, cento e cinquenta mil Euros) no Reino Unido. Apenas algumas foram produzidas e apenas por encomenda…

020Two-1028-copiar

_DSC1814-copiar

020Two-1045-copiar

Hoje em dia as propostas são um pouco mais em conta: a excelente Olympus 8mm f1.8 para MFT, a já velhinha mas ainda actual Nikon 16mm f2.8 (já não é produzida tanto quanto apurei), a Canon 15mm f2.8, no que a focais fixas diz respeito.

_DSC1740-copiar

A prova de que estão efectivamente na moda é o facto de Canon e Nikon terem apostado nos últimos anos em lentes zoom fisheye, a Nikon 8-15mm e a Canon 8-15mm (ambas muito, muito similares).

_DSC1745-copiar

Usadas com algum critério são belíssimas ferramentas criativas, sem dúvida. Ficam aqui algumas imagens que fui produzindo ao longo dos últimos anos com lentes fisheye diversas, em cenários muito diferentes.

W1_1-copiar

Have fun!…

Wim Wenders on his Polaroids – and why photography is now over (The Guardian)

3395

Wim Wenders reckons he took more than 12,000 Polaroids between 1973 and 1983, when his career as a film-maker really took off, but only 3,500 remain. “The thing is,” he says, “you gave them away. You had the person in front of you, whose picture you had just taken, and it was like they had more right to it. The Polaroids helped with making the movies, but they were not an aim in themselves. They were disposable.”

More: https://www.theguardian.com/artanddesign/2017/oct/12/wim-wenders-interview-polaroids-instant-stories-photographers-gallery#img-1

 

Hyde Park, London

MGR18

Winter Wonderland – outras paragens, uma feira muito mais jovem que a nossa Feira de São Mateus. Apenas com 10 anos de idade, esta feira de diversões no coração de Londres é visitada por 2 milhões de pessoas entre 17 de Novembro e 8 de Janeiro. Pouca gente… se comparada com a Feira de São Mateus que não se realiza no coração de uma cidade com…14 milhões de habitantes (dentro do anel da M25).

Foto produzida no âmbito do ensaio “Winterland World” realizado em 2014 na cidade londrina.